quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Cemitério Israelita de Inhaúma vira patrimônio cultural do Rio de Janeiro


Cemitério Israelita de Inhaúma, arquivo Google

Decreto do prefeito foi publicado no Diário Oficial nesta quinta-feira (28).


Criado em 1916, local é considerado 'marco entre campos santos' do Rio.

Do G1 RJ

O Cemitério Israelita de Inhaúma foi tombado definitivamente nesta quinta-feira (28) pela Prefeitura como Patrimônio Cultural do Rio de Janeiro. O decreto do prefeito Eduardo Paes foi publicado no Diário Oficial do município desta quinta, baseado em pronunciamento do Conselho Municipal de Proteção do Patrimônio Cultural da cidade.

Criado em 1916 pela Associação beneficente Funerária e Religiosa Israelita, o cemitério – que fica na Rua Piragibe, 99, em Inhaúma, no subúrbio do Rio – é marco particular entre os campos santos do município do Rio por ter sido idealizado “por mulheres que em ambiente hostil se uniram para assegurar sua sobrevivência”, informa a Prefeitura.

Com o tombamento definitivo, quaisquer intervenções físicas deverão ter autorização prévia do Conselho.

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Convívio Genealógico, Rio de Janeiro





Convívio Genealógico - Terceira Terça





Você que gosta de Genealogia e não se cansa com suas histórias de família aproveite para encontrar "apaixonados genealógicos" que nem você. Tire a poeira dos ombros, deixe a preguiça de lado, apronte os ouvidos, prepare as cordas vocais e venha abraçar, ouvir e falar genealogias na terceira-terça:


CONVÍVIO GENEALÓGICO:

- Terceira-terça do mês
- Horário: com início às 18:00 horas. Pode-se permanecer até às 22:00h sem problemas.
- Local: Restaurante Olimpíadas do Chopp (que já foi Porta do Sol), na esquina da rua Carlos de Vasconcelos 155, colado à Praça Saens Peña, Tijuca, em frente à cabina da Polícia Militar.
- Vantagens: Ar condicionado, controle individual das despesas, ponto final do Metrô ao lado (cerca de quarenta passos da saída mais próxima), pontos de ônibus, estacionamento para carros nas proximidades e segurança.


Aguardaremos por você. Se estiver trabalhando, chegue mais tarde, mas apareça para um abraço.

Forte abraço e até lá.
Fraternalmente,

Carlos Paiva

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

X Settimana della Lingua Italiana nel Mondo


Istituto Italiano di Cultura San Paolo newsletter

terça-feira, 5 de outubro de 2010

Palestra sobre raízes marranas de famílias coloniais




Mais informações
http://www.esefarad.com/?p=16058

II Encontro de Genealogia do Rio de Janeiro




1950 - 24 de junho - 2010

O Colégio Brasileiro de Genealogia tem o prazer de convidar
para o evento de comemoração de seu 60º aniversário

II Encontro de Genealogia do Rio de Janeiro


Datas: 27 e 28 de novembro
Local: Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro - IHGB
Rio de Janeiro-RJ
Horário: sábado - de 9 às 20h
domingo - de 9 às 12h

Programa:

27 de novembro - sábado
Manhã

- Abertura - Carlos Barata, presidente CBG

- CBG - 60 anos - Attila Cruz Machado, vice-presidente CBG

- Origem dos nomes e sobrenomes
Carlos Eduardo Barata, do CBG

- As memórias da viscondessa: família e poder no Império
Mariana Muaze, da UNIRIO

- Os engenhos de Pernambuco e seus possuidores
Reinaldo Carneiro Leão, do IAHGPernambucano

- Genealogia baiana - além das fronteiras de Frei Jaboatão
Jorge Ricardo Fonseca, do IGBahia

Almoço no terraço (incluído)

Tarde

- NewFamilySearch: estado atual, perspectivas e desafios
Dirk Veldman, da Igreja JC SUD

- Genealogia genética - mesa redonda
Ricardo Costa de Oliveira-PR, João Simões Lopes Filho-RJ e Gustavo Lemos-RJ

- Documentos da Inquisição de interesse para Genealogia
Marcelo Bogaciovas, da ASBRAP

- Projeto Bicentenário da Independência
Primeiras famílias do Brasil independente
Gustavo Almeida Magalhães de Lemos, do CBG
- Comunicados - institutos genealógicos e históricos

- O português que nos pariu
Angela Dutra de Menezes, escritora

Encerramento - coquetel de congraçamento (incluído)


28 de novembro - domingo - de 9 às 12 horas

Passeio guiado pelo Pres. Carlos Eduardo Barata, em ônibus, para os primeiros 45 associados inscritos, dando-se preferência aos residentes fora da cidade do Rio de Janeiro. (incluído)

Taxa de participação:

- associados CBG - R$ 50,00
- não-associados - R$ 70,00


Em breve, na página CBG, mais informações e formulário para inscrição.

www.cbg.org.br

Curitiba: Palestra "Imigração Italiana e Pesquisa de Genealogia"


Nessa terça feira 5 de outubro de 2010 acontece no Centro de Cultura Italiana - CCI PUC, a palestra Imigração Italiana e Pesquisa de Genealogia, proferida pelo Bacharel em História Virginio Mantesso-Neto.

Virginio Mantesso-Neto, é ítalo-brasileiro, Bacharel em História, genealogista e pesquisador da história da imigração italiana. Em São Paulo, onde mora, e em diversos outros locais, já ministrou 11 edições do Curso "Imigração Italiana: dados históricos e pesquisa genealógica", sendo 6 delas no Memorial do Imigrante, da Secretaria de Estado da Cultura do Estado de São Paulo, reconhecido como um dos melhores museus de imigração do mundo. Ministrou, também, 3 edições do Curso "Elementos de paleografia: Leitura e transcrição de documentos antigos para pesquisa genealógica ítalo-brasileira". Recentemente, apresentou no III Congresso da ASBRAP -Associação Brasileira de Pesquisadores de História e Genealogia o trabalho "Registros eclesiásticos na Itália a partir do Concílio de Trento: histórico, características e novas perspectivas de pesquisa". Ministrou também dezenas de palestras similares aos mais variados públicos, e foi por diversas vezes convidado para entrevistas em programas de televisão.

Local: CCI PUC - fone (41) 3333-1866
Rua Imaculada Conceição, 1155 - Portão 2 - Sala 6
Curitiba, PR

Entrada gratuita, vagas limitadas

5 de outubro de 2010.

Horário: das 20h30 (sem atraso) às 21h45

Mais detalhes no site www.imigracaoitaliana.com.br
Uma entrevista recente em programa de TV pode ser vista no endereço http://www.youtube.com/user/MSPalazzuoli
_._,_.___

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Consulado divulga atualização de roteiro para o reconhecimento da cidadania italiana



O site do Consulado da Itália em Curitiba disponibiliza a versão 2010 do roteiro para o reconhecimento da cidadania italiana para descendentes de italianos. No documento, de quatro páginas, o Consulado esclarece os principais pontos que dizem respeito ao assunto.


Veja no site do Consulado


Redação revista eletrônica Oriundi
http://www.oriundi.net/

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Site de busca de registro civil em MG



Segue um endereço de grande utilidade. Nele é possível identificar em qual cartório está registrado o nascimento, casamento ou óbito de determinada pessoa. São informações resumidas, mas ajudam bastante. Por enquanto, limita-se à região da Grande BH, mas em breve, pelo que consta, estarão disponíveis dados de todos os cartórios de registro civil de Belo Horizonte.

Segue texto extraído do site:
“Esta é uma iniciativa pioneira das Serventias de Registro Civil das Pessoas Naturais em Minas Gerais, disponibilizando à sociedade um serviço que tem como objetivo facilitar a pesquisa à Serventia em que se encontram inscritos documentos de seu interesse, bem como obter informações acerca de atos registrais. Trata-se de serviço social que permite ao cidadão maior conforto e celeridade, uma vez que terá a indicação de endereço único ao qual dirigir-se, evitando o transtorno de ter que buscar sua informação em todas as serventias da localidade. Salienta-se que as pesquisas aqui realizadas não têm caráter conclusivo, sendo limitadas ao índice do acervo informatizado atual das serventias participantes, devendo o interessado dirigir-se pessoalmente às serventias caso a pesquisa não encontre o registro solicitado. Importante informar que, apesar dessas informações e pesquisas serem gratuitas, por força de lei, a busca e a emissão de certidões dependem de pagamento prévio de emolumentos e taxas.”


Colaboração
Stanley Savoretti de Souza
Belo Horizonte/MG

Seminário ItáliaBrasil - programação revisada



Seminário ItaliaBrasil
Um Intercâmbio de Culturas e Possibilidades

Realização:
Empresa Mestres e Doutores & Casa D’Italia Anita Garibaldi
Local de Realização: Universidade Estácio de Sá
Campus Bingen
Dias 3 e 8 de Setembro de 2010
Faixa etária: 12 anos
Ingresso: 1 kg de alimento não perecível
Inscrições no período de 23 a 27 de agosto no Campus Bingen
da  Universidade Estácio de Sá


Dia 03/09 – início 13h30

Palestrantes

• 14h - Palestra: Direitos: Título de Cidadania, Trabalho na Itália e Previdência - A Assistência Social Italiana prestada no Brasil. Palestrante: Rita Martire - Diretora do Istituto Nazionale Assistenza Sociale – INAS do Rio de Janeiro.

• 14h50 - Palestra: Comunidade italiana de Niterói: Histórias de Família. Através de depoimentos, os valores e as trajetórias de vida dos imigrantes italianos que aqui chegaram nos anos 50, em especial em Niterói-RJ. Palestrante: Patrícia Souza Lima - Historiadora, Pesquisadora e Professora. Doutora em História Social pela UFRJ, Mestre em História Social da Cultura pela PUC-Rio. Especialista em Comunicação Jornalística pela Cândido Mendes.

• 15h30 - La rete della pausa caffè

• 16h - Palestra: Italianos e o Brasil Colonial - Como famílias de grandes mercadores italianos ajudaram a “colonizar” o Brasil. Conta-se a história dos Cavalcantis, Acciaiolis (Acciolis), Spinolas, Dorias, Lomellinis e outros, no Brasil dos séculos XVI e XVII. Palestrante: Francisco Antonio Doria – Professor Emérito da UFRJ, Membro Titular do Colégio Brasileiro de Genealogia e Membro da Academia Brasileira de Filosofia.

• 17h - Palestra: O Brasil que veio da Itália – Relato Iconográfico da Imigração Italiana no Brasil – Uma contribuição ao estudo da importância da imigração italiana na formação do Brasil. Palestrante: Dr. José Luiz D’Amico – Diretor Cultural da Casa D’Italia Anita Garibaldi de Petrópolis, Auditor do Governo Federal na Área de Políticas Públicas de Saúde do Trabalhador, Vice-Presidente da Sociedade Petropolitana de Médicos Escritores e Membro Titular da Academia Brasileira de Poesia.
• 17:40 h - Palestra: Inédita Biografia da Imperatriz Dona Teresa Cristina. Palestrante: Aniello Angelo Avella – Professor Titular da Universidade de Roma Tor Vergata e membro do Conselho Nacional de Pesquisas no Departamento de Identidade Cultural – Itália.

• 18:15 h - Encerramento: Agradecimentos e Considerações Finais do Ilustre Presidente da “ITAL RIO – Società Italiana”, Professor Antonio Vilardo - Engenheiro Civil pela UFRJ, Ex-Professor da Universidade do Estado do Rio de Janeiro – UERJ e Vice-Presidente da Câmara de Comércio Brasil-Itália.
Dia 08/09 – início 19h

Palestrantes

• 19h - Palestra: A influência do Direito Romano no Direito Brasileiro. Palestrante: Ercilia De Stefano – Diretora da empresa Mestres e Doutores, Mestre em Engenharia de Sistemas pela UFRJ/COPPE, Especialista em: Gestão Estratégica Pública e Gerência e Desenvolvimento de Sistemas. Estudante de Direito e Contabilidade pela Universidade Estácio de Sá.

• 19h30 - Palestra: Carta Del Lavoro. Palestrante: José Luis de Oliveira – Advogado. Pós-graduado em Direito e Processo do Trabalho.

• 20h - La rete della pausa caffè

• 20h20 - Palestra: Petrópolis - Cidade Operária: O movimento sindical das indústrias têxteis pós 1930. Palestrante: Norton Ribeiro - Graduado e Pós-graduado em História Moderna (Latu Sensu) pela UFF.

• 21h - Palestra: Norberto Bobbio e o futuro da democracia. Resumo da palestra: Delinear o que o filósofo italiano vislumbrava para o Estado Moderno e sua relação com a sociedade civil, bem como a superação da dicotomia entre direita e esquerda, que se instituiu na discussão política moderna a partir da Revolução Francesa. Palestrante: Nilton José dos Anjos de Oliveira - Graduado em Filosofia pela UFRJ, Mestre e Doutor em Ciência da Literatura com Pós-doutorado em Teoria Literária pela UFRJ e Filologia Moderna pela Universidad de Salamanca - Espanha.

Divulgação Casa D'Italia Anita Garibaldi de Petrópolis

Lista de Navios provenientes da Italia do Arquivo Nacional do Rio de Janeiro



Como relatado nos meus posts, eu tinha uma dúvida sobre o sobrenome correto do meu bisnonno italiano. Como não tinha ideia de como e quando ele tinha chegado ao Brasil, resolvi olhar as lista de passageiros dos navios que chegaram no porto do Rio de Janeiro. Minha ideia era encontrar ali o nome dele e assim ter mais certeza de qual seria o sobrenome correto.

O Arquivo Nacional há pouco tempo disponibilizou online as listas de passageiros chegados ao porto do Rio de 1875 atè 1891. Como isso abrange a grande maioria dos imigrantes italianos vindos ao Brasil, vale a pena dar uma conferida.

Descontente com o sistema online do AN que complica muito a procura dos registros, resolvi fazer uma compilaçao de todos navios que trouxeram imigrantes italianos, excluindo os demais. Alem disso, um link direto pra baixar o PDF do Arquivo Nacional. Basicamente, os nossos bisnonni vieram de tres portos: Napoli pros emigrados do centro/sul da Italia, e Genova/Marseille pros oriundos do Norte da Italia (Veneto, Lombardia, Trento, Piemonte, Emiliani e Toscani).

Esses navios na maioria das vezes não vinham direto. Faziam escalas em varios portos atè chegar no Rio. Então não significa que um navio vindo de Genova não tenha passado inicialmente por Napoli e assim via. Resumo da ópera: tem que abrir as listas um por um e verificar qual o respectivo porto que o emigrado vinha.

Alem disso, varias listagems estao ilegiveis. Outras foram extraviadas. Vale a pena lembrar que aqui NÃO estao os navios que chegaram a Santos, ali è caso perdido caso o emigrado não parou na hospedaria.

Consulte a lista de navios em
http://sagamioli.blogspot.com/2010/08/lista-de-navios-provenientes-da-italia.html

terça-feira, 17 de agosto de 2010

Serra Serata Petrópolis 2010



(clique nas figuras para ampliar o convite)



Divulgação
Casa D'Italia Anita Garibaldi de Petrópolis

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Curso Paleografia: Leitura documentos antigos para genealogia

Documentos antigos são fascinantes .... aprenda a decifrá-los!



3º Curso Elementos de Paleografia:
 Leitura e transcrição de documentos antigos  para pesquisa genealógica ítalo-brasileira

Ao final do Curso, você será capaz de ler, entender e transcrever documentos como esse !!

Objetivos: Treinar os participantes para a leitura de documentos antigos em português e habilitá-los, segundo seu conhecimento individual, à leitura ou coleta de dados em documentos em italiano e em latim, desde o presente até o início do séc. XVII. O foco é sobre documentos de registro civil e registro eclesiástico, e, subsidiariamente, outros documentos encontradiços em pesquisas genealógicas (passaporte, Stato di Famiglia, documentos militares, cartas, etc.). A parte teórica é apresentada com projeções de documentos antigos e exibição de peças originais, mas a maior ênfase é na parte prática. Os participantes são convidados a trazer cópias de documentos familiares para que cada um faça suas próprias leituras e transcrições.

Datas: 28 (sábado) e 29 (domingo) de agosto, 11 (sábado) e 12 (domingo) de setembro de 2010
Horário: 14-18 hs (com pequeno intervalo)
Carga horária: 16 hs (com Certificado)
Público-alvo: interessados em história ou genealogia ítalo-brasileira, e em paleografia em geral
Pré-requisitos: nenhum; o curso é dado em linguagem aberta e não-técnica
Professor: Virginio Mantesso Neto, Bacharel em História e Genealogista
Local: no bairro de Santo Amaro (proximo à estátua de Borba Gato e Av. Santo Amaro 6700), São Paulo. (Endereço e indicações de acesso por vários meios serão informados aos inscritos)
Alguns ítens do conteúdo:
· Paleografia: conceitos gerais; ciências auxiliares e afins; paleografia de leitura

· A escrita: suportes, instrumentos, tintas. O papel: características; manuseio de documentos originais; cuidados, restauração

· Caligrafia: breve histórico. Elementos de análise da caligrafia; características de cada escriba

· Características das caligrafias na Itália, em Portugal e no Brasil a partir do século XVII

· As modificações das línguas falada e escrita (português; italiano; latim eclesiástico)

· Abreviaturas; divisões e junções de palavras; maiúsculas e minúsculas; números; pontuação

· Breve história política da Itália. Histórico dos registros eclesiásticos e civis na Itália e no Brasil

· Fórmulas (quase) padrão de diversos tipos de documentos (português, italiano, latim)

· Aspectos práticos da leitura: conhecimentos úteis, contexto, comparações

· Glossário português/italiano de termos usuais no contexto desses documentos

· Noções elementares de latim. Dicas e mini-glossário para compreensão de registros em latim

· Transcrição de documentos; normas técnicas

Parte prática:

· Leitura e transcrição de exemplos impressos e manuscritos; Leitura e transcrição de documentos trazidos pelos alunos

· Fabricação artesanal de papel, e de tinta ferro-gálica como se fazia entre os século XVI e XIX. Exercícios de escrita com penas similares às antigas, usando a tinta feita pelos alunos
Inscrição: R$ 120 em 2 parcelas, metade por depósito na reserva, metade por cheque pré-datado para 10 de setembro. A inscrição se completa com o efetivo depósito da primeira parcela

Vagas limitadas - Reserva de vagas ou esclarecimento de dúvidas: mande email para curso@imigracaoitaliana.com.br  ou virginio@uol.com.br , e receberá instruções sobre como fazer a inscrição.
PS1: esse curso é único no Brasil. Se souber de alguém que possa se interessar pelo assunto, por gentileza repasse esta mensagem. Grato.

PS2: Para quem recebe a TV Gazeta de São Paulo, na próxima sexta-feira, dia 20, estarei no programa Mulheres, apresentado ao vivo por Cátia Fonseca entre 14h e 18h, falando sobre sobrenomes italianos e outros. Infelizmente a pauta é muito dinâmica, e é impossível dar um horário, sequer aproximado, do segmento em que eu participarei.

Novo banco de dados do Arquivo Nacional


Consulta online das relações de passageiros desembarcados no Porto do Rio de Janeiro

Atualmente, estão disponíveis cerca de duzentos mil registros do período compreendido entre os anos de 1885 e 1891. O projeto de entrada de dados conta com o patrocínio do BNDES. Veja no menu do site do Arquivo Nacional, no link "Consultas ao Acervo" para ter acesso à base de dados.

No final do século XIX, milhares de estrangeiros desembarcaram no porto do Rio de Janeiro, iniciando para a história, o que seria o período da primeira imigração massiva (1880-1930). Imigrantes de diversas origens, principalmente portugueses, italianos, japoneses e espanhóis, mas também, judeus, sírios e libaneses, chegaram às terras brasileiras, iniciando o sonho de fazer a América. Desde então, o Rio de Janeiro passaria a ser o portal de entrada e o Brasil, o país mais miscigenado do mundo.

Para recuperar a história dos grupos migratórios que participaram na formação da sociedade brasileira contemporânea, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social - BNDES em parceria com o Arquivo Nacional, unindo apoio financeiro, conhecimento técnico e documentação, iniciou em outubro de 2008 o projeto de Entrada de Estrangeiros no Brasil: As relações de passageiros desembarcados no porto do Rio de Janeiro´foi idealizada e coordenada pela professora Ismênia de Lima Martins (Universidade Federal Fluminense), o projeto tem por objetivo a organização de um banco de dados com descrições das listas de passageiros desembarcados no Rio de Janeiro.

Esta base de dados permitira solucionar questões concretas que passem pela reunião de famílias, direitos de cidadania e propriedade com acesso rápido e fácil à documentação. O projeto continua em execução e as atualizações periódicas possibilitarão a ampliação progressiva do universo da busca.

Além de ser uma documentação histórica importante, pode-se dizer que as listas de vapores representam, de uma certa forma, documentos familiares, guardados e cuidados pelo Arquivo Nacional, mas pertencentes a todos os brasileiros e/ou estrangeiros. Os navios que ancoravam no porto carioca traziam, nas suas idas e vindas, histórias ao mesmo tempo coletivas e individuais, pois cada imigrante, além de ser partícipe do seu próprio tempo, carregava consigo também a sua história particular e familiar.

A recuperação das informações, contidas num universo de mais de 10 mil listagens, representa um avanço no desenvolvimento da pesquisa sobre a imigração no Brasil, um tema que diz respeito a todos aqueles que participaram, direta ou indiretamente, na formação da sociedade brasileira.

domingo, 15 de agosto de 2010

Seminário ItaliaBrasil Um Intercâmbio de Culturas e Possibilidades


Seminário ItaliaBrasil

Um Intercâmbio de Culturas e Possibilidades

 
Realização:
Empresa Mestres e Doutores & Casa D’Itália Anita Garibaldi

Local de Realização: Universidade Estácio de Sá – Campus Bingen

Dias 3 e 8 de Setembro de 2010
Faixa etária: 12 anos

Ingresso: 1 kg de alimento não perecível

Inscrições no período de 23 a 27 de agosto no Campus Bingen da Universidade Estácio de Sá


Dia 03/09 – início 13h30

Palestrantes

• 14h - Palestra: Direitos: Título de Cidadania, Trabalho na Itália e Previdência - A Assistência Social Italiana prestada no Brasil. Palestrante: Rita Martire - Diretora do Istituto Nazionale Assistenza Sociale – INAS do Rio de Janeiro.

• 14h50 - Palestra: Comunidade italiana de Niterói: Histórias de Família. Através de depoimentos, recuperam-se os valores e as trajetórias de vida dos imigrantes italianos que aqui chegaram nos anos 50, em especial na cidade de Niterói-RJ. Palestrante: Patrícia Souza Lima - Historiadora, Pesquisadora e Professora. Doutora em História Social pela UFRJ, Mestre em História Social da Cultura pela PUC-Rio. Especialista em Comunicação Jornalística pela Cândido Mendes.

• 15h30 - La rete della pausa caffè

• 16h - Palestra: Italianos e o Brasil Colonial - Como famílias de grandes mercadores italianos ajudaram a colonizar o Brasil. Conta-se a história dos Cavalcantis, Acciaiolis (Acciolis), Spinolas, Dorias, Lomellinis e outros, no Brasil dos séculos XVI e XVII. Palestrante: Francisco Antonio Doria – Professor Emérito da UFRJ, Membro Titular do Colégio Brasileiro de Genealogia e Membro da Academia Brasileira de Filosofia.

• 17h - Palestra: O Brasil que veio da Itália – Relato Iconográfico da Imigração Italiana no Brasil – Uma contribuição ao estudo da importância da imigração italiana na formação do Brasil. Palestrante: Dr. José Luiz D’Amico – Diretor Cultural da Casa D’Italia Anita Garibaldi de Petrópolis, Auditor do Governo Federal na Área de Políticas Públicas de Saúde do Trabalhador, Vice-Presidente da Sociedade Petropolitana de Médicos Escritores, Membro Titular da Academia Brasileira de Poesia, Língua e Cultura Italianas Scuola Dante Alighieri – Universidade de Camerino - Itália.

• 18h - Palestra: Inédita Biografia da Imperatriz Dona Teresa Cristina. Palestrante: Aniello Angelo Avella – Professor Titular da Universidade de Roma Tor Vergata e membro do Conselho Nacional de Pesquisas no Departamento de Identidade Cultural – Itália.

Dia 08/09 – início 19h

Palestrantes

• 19h - Palestra: A influência do Direito Romano no Direito Brasileiro. Palestrante: Ercilia De Stefano – Diretora da empresa Mestres e Doutores, Mestre em Engenharia de Sistemas pela UFRJ/COPPE, Especialista em: Gestão Estratégica Pública e Gerência e Desenvolvimento de Sistemas. Estudante de Direito e Contabilidade pela Universidade Estácio de Sá.

• 19h30 - Palestra: Carta Del Lavoro. Palestrante: José Luis de Oliveira – Advogado. Pós-graduado em Direito e Processo do Trabalho.

• 20h - La rete della pausa caffè

• 20h20 - Palestra: Petrópolis - Cidade Operária: O movimento sindical das indústrias têxteis pós 1930. Palestrante: Norton Ribeiro - Graduado e Pós-graduado em História Moderna (Latu Sensu) pela UFF.

• 21h - Palestra: Norberto Bobbio e o futuro da democracia. Resumo da palestra: Delinear o que o filósofo italiano vislumbrava para o Estado Moderno e sua relação com a sociedade civil, bem como a superação da dicotomia entre direita e esquerda, que se instituiu na discussão política moderna a partir da Revolução Francesa. Palestrante: Nilton José dos Anjos de Oliveira - Graduado em Filosofia pela UFRJ, Mestre e Doutor em Ciência da Literatura com Pós-doutorado em Teoria Literária pela UFRJ e Filologia Moderna pela Universidad de Salamanca - Espanha.

sábado, 7 de agosto de 2010

Projeto Compartilhar

Projeto Compartilhar
criado em Junho de 2004
Coordenação: Bartyra Sette e Regina Moraes Junqueira

Este site abriga dados e informações que encontramos em documentos ao longo de nossas pesquisas ou gentilmente oferecidos por colaboradores.

Pesquisamos apenas documentos referentes às famílias dos povoadores da antiga Capitania de São Vicente, bem como sua migração para o sul de Minas até meados do século XIX.

TERMO DE USO

As informações contidas nestas páginas são gratuitamente disponibilizadas, desde que:

1) O Projeto Compartilhar seja participado com antecedência caso as informações venham a ser usadas em outros sites ou publicações.

2) NÃO sejam usadas para FINS COMERCIAIS sem prévia autorização.

3) Em qualquer caso, cumprindo a lei de direitos autorais, sejam dados os créditos aos AUTORES das pesquisas indicados em cada documento e ao PROJETO COMPARTILHAR.

4) O que se disponibiliza, seguidas as regras, acima, são tão somente informações contidas nos documentos, espinha dorsal deste site. Pesquisas, textos, publicações, conclusões tiradas a partir dos dados disponibilizados são de inteira responsabilidade do autor.

Em nenhuma hipótese o nome do Projeto Compartilhar ou de seus responsáveis pode ser citado, sugerido ou usado, como co-autor ou avalista em pesquisas e trabalhos de terceiros.

SAESP- Sistema de Arquivos do Estado de São Paulo


SUL DE MINAS GERAIS


OUTROS LOCAIS


REGISTROS DE TERRAS E POPULAÇÃO





REGISTROS PAROQUIAIS



DIVERSOS

FAMILIAS PAULISTAS E SUL MINEIRAS


sexta-feira, 30 de julho de 2010

Nas ondas sonoras da Sino Azul


Imagem: edição de outubro de 1929.

Acervo de revista pertencente a antiga Companhia Telefônica Brasileira é digitalizado e disponibilizado em grande estilo na internet

"'Sino Azul', sentindo em seu bojo ainda a resonancia das vibrações festivas de Natal, transforma-se hoje em magestoso carrilhão de melodioso timbre, para, em ondas sonoras, tangidas pelo sentimento de cordialidade, enviar ao coração de todos os empregados de telephones o seu voto sincero de felicidade pela passagem do Anno Bom". É com essa linguagem pomposa e cheia de emoção que a revista "Sino Azul" se dirigia a seus leitores – empregados da antiga Companhia Telefônica Brasileira (CTB) – em seu primeiro número, lançado nos primeiros dias de janeiro de 1928. A revista, porém, pode ser lida, a partir de agora, por um público muito mais amplo. É que a Fundação Telefônica digitalizou todo o acervo da revista, possibilitando a pesquisadores do mundo todo o acesso a um vasto material histórico que ajuda a contar um pouco da história da comunicação no país. (Acesse gratuitamente: http://www.colecaosinoazul.org.br/ /) 

A “Sino Azul” foi o veículo de comunicação interna oficial da então CTB, que prestava serviços de telefonia em grande parte dos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais. Marco importante na história da comunicação empresarial no país, a revista acompanhava a evolução das telecomunicações no Brasil, dando destaque a fatos como a introdução de cabos submarinos, a comunicação via rádio ou ainda o uso do telefone sem o auxílio de telefonistas. Em São Paulo, a publicação circulou entre os anos de 1920 e 1970. No Rio de Janeiro, entretanto, ela continuou sendo publicada pela antiga TELERJ até 1989.

Segundo a Fundação Telefônica, instituição herdeira desse acervo e que hoje controla a maior parte da Ação Social e Cultural do Grupo Telefônica no mundo, o projeto de digitalização visa preservar e divulgar a memória da revista, tornar seu acervo mais acessível a pesquisadores e também a população em geral. Foram transpostas para o meio digital as 350 edições da revista. Mas esse trabalho de transposição não foi fácil. O primeiro passo foi microfilmar todos os exemplares do acervo. Em seguida, cada página foi digitalizada e uma equipe de bibliotecários realizou a indexação de todos os números, que foram catalogados num banco de dados estruturado seguindo o formato bibliográfico internacional Marc 21. O projeto teve apoio decisivo da Lei Rouanet.

O design do site é muito bonito, extremamente cuidadoso. As revistas estão divididas por ano e também é possível realizar uma busca avançada em seu conteúdo através do cruzamento de nome do autor, palavra, título, notas, assuntos e locais de publicação. Para acessar o conteúdo, basta clicar na capa da edição escolhida e começar a folhear. E para quem não quer perder absolutamente nada, o site permite um ótimo zoom em todas as páginas.

O único inconveniente do projeto é a demora no carregamento do conteúdo. Se você possui conexão discada, pode desistir. Nós acessamos o site com uma conexão banda larga de um mega e tivemos que tomar alguns cafezinhos expressos antes de ler alguma coisa. Sorte nossa que adoramos a bebida e que a espera valeu a pena, pois é tudo muito bem produzido.

Concurso Cultural
Além de um acervo rico e democratizado, os historiadores que navegam pela web possuem um outro motivo para visitar o site do projeto: a Fundação Telefônica está promovendo o "Concurso Cultural Sino Azul" que premiará 1.500 pessoas com um exemplar do livro "Nas Capas da Sino Azul: Registros da História na Revista da Cia. Telephonica Brasileira. Para isso basta responder a um pergunta e ser selecionado. Para saber mais sobre esse concurso, acesse: http://www.colecaosinoazul.org.br/concurso/

fonte http://cafehistoria.ning.com/profiles/blogs/arquivo-cafe-historia-nas

domingo, 18 de julho de 2010

Acervo do Museu Imperial ao alcance de todos



O projeto DAMI chega para concretizar o sonho de ver o riquíssimo acervo do Museu Imperial ao alcance de todos. Por meio deste banco de dados você poderá conhecer as nossas coleções em seus mínimos detalhes, tendo acesso ao conteúdo e às imagens correspondentes a cada item.

Embarque nesta viagem pela história através das nossas coleções.

Instruções para realização de pesquisa no acervo:

Utilize a caixa para pesquisar um termo específico em todo o acervo.

Utilize as opções de pesquisa avançada para configurar filtros para a palavra-chave escolhida.

Você poderá utilizar múltiplos filtros, simultaneamente, para aumentar a especificidade do que deseja buscar.

A ferramenta vai devolver os resultados da pesquisa na forma de cartões resumidos.

Clique no título dos cartões para acessar a ficha de detalhes completa.

Clique aqui para iniciar a pesquisa.

http://www.museuimperial.gov.br/

domingo, 11 de julho de 2010

Ilha das Flores, que acolheu imigrantes, ganhará museu a céu aberto


RIO - Primeira hospedaria de imigrantes do Brasil, a Ilha das Flores, em São Gonçalo, será transformada em um museu a céu aberto que contará a história dos mais de 300 mil estrangeiros que passaram por lá entre 1877 e 1966. Ao pequeno pedaço de terra cercado pelas águas da Baía de Guanabara, chegavam levas e levas de viajantes que, após semanas ou meses de viagem, eram alojados até que tivessem a chance de partir para um novo trabalho, uma nova vida.

O projeto terá três etapas e promete reconstituir a trajetória de portugueses, espanhóis, italianos, russos, poloneses, árabes e judeus, entre outros povos. O refeitório onde os imigrantes se alimentavam será transformado em uma sala de exposição permanente.

No total, dez prédios do complexo poderão ser visitados. Por meio de uma linha do tempo, textos, fotografias antigas, vídeos e documentos contarão em detalhes a história da imigração brasileira. Segundo o coronel reformado Miguel Mendonça Pinheiro, presidente da comissão para desenvolvimento do projeto do Centro de Memória dos Imigrantes, a expectativa é de que, até o fim deste ano, a ilha esteja aberta à visitação pública. Hoje, lá funciona a Comando da Tropa de Reforço do Corpo dos Fuzileiros Navais da Marinha.

- O projeto foi lançado em março e agora estamos na fase de captação de recursos. A primeira etapa custará R$ 450 mil, sendo R$ 205 mil para fazer projeções, montar salas multimídias e identificar os locais. Outros R$ 245 mil servirão para a restauração dos prédios históricos que abrigava os imigrantes - explica o coronel.

terça-feira, 22 de junho de 2010

400 árabes, seus filhos e netos

Colégio Brasileiro de Genealogia

400 árabes, seus filhos e netos


O Al-Máhjar, centro de estudos da imigração árabe no Brasil, que pertence ao Icarabe, já coletou cerca de 400 histórias de imigrantes árabes e descendentes. O banco de dados será objeto de estudo.

São Paulo – Jamile Abou Nouh, moradora de São Paulo e descendente de libaneses, tem 56 anos. Mas faz pouco tempo que ela se dirigiu ao seu pai, que vive em Paranavaí, no Paraná, com algumas perguntas sobre as origens da família. Jamile anotou tudo o que o pai, um senhor de 82 anos, contou e agora vai enriquecer a história dos árabes no Brasil com dados sobre a sua família. Ela pretende registrar a sua história no Al-Máhjar, um centro de estudos da imigração árabe no Brasil mantido pelo Instituto de Cultura Árabe (Icarabe). O Al-Máhjar mantém um site que entrou no ar em 2008 e onde as pessoas podem escrever a história dos seus laços com os árabes. De acordo com a diretora cultural e científica do Icarabe, Soraya Smaili, já foram deixadas no site ao redor de 400 histórias.

IsauraDaniel/ANBA
Soraya: Al-Máhjar fará estudo aprofundado sobre a imigração

A maioria das histórias é de imigrantes ou descendentes de árabes, como Jamile, mas o projeto também aceita que pessoas sem origem árabe, mas ligadas à região ou a cultura de lá, contem sobre os seus laços com eles. O objetivo é fazer da ferramenta um grande banco de dados sobre a imigração árabe no Brasil. O material deixado ali pelas pessoas será todo compilado e a partir dele feito um estudo mais aprofundado sobre a imigração. O objetivo final é transformar o conteúdo em um livro. Parte do material, porém, deve entrar no site, para consultas, ainda neste ano, segundo Soraya. Além das histórias escritas, o banco de dados também deve ter documentos escaneados e fotos.

Apesar do site ser um meio importante para coletar dados sobre os imigrantes, o trabalho do centro de estudos vai mais adiante. Além de recolher histórias em massa, estão sendo feitas entrevistas, com pessoas selecionadas, para um relato e coleta de dados mais profundos. No total serão 50 entrevistas. "Vamos entrevistar Milton Hatoum, Adib Jatene, mas também vamos entrevistar anônimos", afirma Soraya, cuja diretoria é responsável pelo núcleo cultural, que, por sua vez, toma conta do centro de estudos de imigração árabe no Brasil. As entrevistas também passarão por uma análise profunda e serão objeto de um livro e de um filme. As entrevistas devem ocorrer no decorrer deste e do próximo ano.

Profissionais especializados acompanham o projeto de história oral como voluntários. Samira Osman, por exemplo, é doutora em História, especializada em história oral, Sabrina Moura também é historiadora, com experiência em organização de documentos e iconografia. Outros colaboradores são Geraldo Godoy Campos, sociólogo, que vai participar do estudo do material, e Dolores Biruel, biblioteconomista, também da área de documentação. Os quatro são coordenadores do Al-Máhjar. Também o cineasta Otávio Cury está colaborando e é responsável pelas filmagens. Todos são voluntários.

Do mestre
"Cada um tem que escrever a sua história. Cada um tem que contar a história do seu pai, do seu avô, contar algo da sua ligação com a cultura árabe.” Foram mais ou menos estas palavras, ditas repetidas vezes pelo geógrafo Aziz Ab’Saber, presidente de honra e uma espécie de "guru" do Icarabe, que inspiraram os líderes do instituto a criarem o Al-Máhjar. Tudo começou com a formatação de um projeto de patrimônio imaterial que foi encaminhado para um edital da Petrobras. "A gente fez esse projeto sem muita clareza, na tentativa de começar a organizar as idéias. Não ganhamos o edital, mas foi importante para dar o passo seguinte que foi criar um grupo de trabalho e estudos da imigração", diz Soraya.

O projeto atual do Al-Máhjar foi formatado, então, em 2007, e no final daquele ano mesmo foi lançado, em um evento na Casa das Rosas, na capital paulista. A página do centro, com o link para a captação das histórias, foi posta na internet logo em seguida. "A gente quer se aprofundar um pouco mais em relação ao que já foi feito", conta Soraya, sobre as análises e estudos que devem ser realizados em cima do banco de dados. "E o nosso objetivo é fazê-lo público porque aí ele se torna grande. Grande não no sentido de poderoso, mas à altura do que é essa imigração, uma imigração que tem 130 anos ou mais", diz a diretora.

E Jamile?
A história de Jamile deverá estar lá quando o banco de dados do Al-Máhjar for público. A descendente de libaneses acompanha o Icarabe, e é sócia da entidade, desde que ela começou a funcionar, em 2004. Ela afirma que procurou o instituto na tentativa de se aproximar das suas origens. "Minha mãe era brasileira e meu pai é libanês. Como eu não falo árabe, não me sentia nem bem brasileira e nem bem libanesa, mas quando comecei a ir aos eventos da Icarabe, vi que havia muita gente como eu", conta.

Arquivo Pessoal
Jamile: pai libanês e mãe brasileira

O pai de Jamile veio para o Brasil aos 25 anos, em 1952, sem falar português. No ano seguinte casou-se com a mãe de Jamile. Ele desembarcou em Santos, porto paulista, mas foi para o interior do Paraná. "Mascateou muito, a pé por quilômetros e quilômetros. Depois comprou um cavalo, mais adiante comprou dois cavalos e uma carroça", relata. Acabou se estabelecendo com uma loja da área têxtil, ramo no qual ainda atua.

Muçulmano praticante, apesar da idade, reza cinco vezes ao dia e em 2008 foi a Meca fazer a peregrinação, o que já havia feito uma vez, há quinze anos. Dos filhos, três seguiram o caminho profissional do pai e ficaram no comércio. Outros três seguiram pelos caminhos da engenharia civil, administração de empresas e psicoterapia, esta última a profissão de Jamile, que também trabalha na Assembléia Legislativa de São Paulo.

Serviço:
Registre sua história com os árabes:
(no link Al-Máhjar, na seção Conte sua História)


quarta-feira, 16 de junho de 2010

Convite - Rio Grande do Sul


Segue convite para lançamento de meu novo livro: "Criúva, um povoado brasileiro".

Trata-se, resumidamente, de um resgate da História de um Distrito de Caxias do Sul. Pelas suas peculiaridades encontram-se elementos culturais diferentes daqueles relacionados à imigração italiana na região. A temática envolve o início do povoamento dos chamados Campos de Cima da Serra que durante o Século XVIII estabeleceram pontos de passagem dos Tropeiros que transportavam gado para outros Estados, como Santa Catarina, Paraná e São Paulo."Muitas pessoas não se dão conta de que as Capelas, Vilas e pequenos Povoados também têm História. O interior do Brasil guarda um Patrimônio Cultural incalculável".

Também é apresentada Genealogia dos primeiros habitantes proprietário da extensa Sesmaria Palmeira dos Ilhéus, numa combinação de portugueses-açorianos com paulistas.

O lançamento faz parte da programação do Seminário Integrado Origens de Caxias do Sul, realizado na Faculdade da Serra Gaúcha (rua Os 18 do Forte, 2366, Caxias do Sul, RS - fone (54) 2101-6000, ).

Data: 9 horas, dia 18 de Junho de 2010.

Na oportunidade o autor participará do evento com a palestra "Portugueses, mamelucos e mestiços" na formação étnica da região.

Obrigado.
Luiz Antônio Alves
tonybel@uol.com.br
http://www.fuj.com.br/

http://www.cbg.org.br/

terça-feira, 25 de maio de 2010

Imigração italiana é tema de encontro em Carazinho (RS)

A Federação das Associações Ítalo-brasileiras (FIBRA) e a Associação Italiana Giuseppe Garibaldi de Carazinho promove, no dia 5 de junho, o X Encontro do Movimento Cultural Italiano (MCI), em Carazinho, na região noroeste do estado. A iniciativa integra as comemorações dos 135 anos da imigração italiana no Rio Grande do Sul.

O evento será realizado no Anfiteatro João Marek, na Praça Santo Muneroli - Igreja da Glória, na Rua Benjamim Constant, 93.

Confira a programação:

08h30: Recepção e credenciamento.

09h30: Abertura oficial.

10h:
Painel I

Cultura italiana e língua - importância no desenvolvimento social no sul do Brasil

Palestrantes: Marley Pertile, Universidade de Caxias do Sul; Alcione Jacques Maschio, Universidade de Caxias do Sul

FIBRA e os 135 anos da imigração italiana RS e Brasil

Palestrante: Paulo Massolini - FIBRA

Coordenadora: Elza Dariz – Carazinho

11h30: Debates

12h: almoço - Tratoria Carolina - Dal Castel
14:00 h:
PAINEL II

História da imigração italiana: verdades e mentiras

Palestrante: Julio Posenato

135 anos de presença italiana no Brasil

Palestrante: Antonio Alberti

Coordenador: Vilmar Dariz - Carazinho

15h30: Debates

16h: Assembléia Geral da FIBRA

17h: Reunião da Diretoria da ASSODITA

Encontro do grupo de Unificação da Grafia da Língua Talian (Vêneto-Brasileiro).

18h: Encerramento.

Informações:

Vilmar Dariz (54) 8407-7754 - vdariz@terra.com.br
Luiz Dal Castel (54) 9981-2138
Paulo Massolini (54) 9974-7668


http://www.oriundi.net/

Programação dos 135 anos de imigração em Flores da Cunha




sexta-feira, 14 de maio de 2010

Palestra: "Imprensa italiana em Terra Estrangeira (Belo Horizonte 1900-1920)



Novos Registros apresenta a história da imprensa italiana em Belo Horizonte.


A atuação da imprensa italiana em Belo Horizonte no início do século XX é o tema da palestra do Projeto Novos Registros – Banco de Teses sobre BH, que acontece na próxima terça-feira, dia 18, às 19h, com entrada gratuita, no Centro de Cultura Belo Horizonte (Rua da Bahia, 1.149, Centro).

A prof.ª Geralda Nelma Costa apresenta ao público a sua dissertação de mestrado “A Imprensa Italiana em Terra Estrangeira: vozes sociais em ação (Belo Horizonte 1900-1920)”, defendida na UFMG.

Promoção: Prefeitura de Belo Horizonte, Fundação Municipal de Cultura, Arquivo Público da Cidade de Belo Horizonte.

http://www.ponteentreculturas.com.br/

Caxias do Sul comemora 135 anos de Imigração Italiana com festa nas réplicas

No mês de maio Caxias do Sul comemora os 135 anos de Imigração Italiana. Para marcar a data, a Prefeitura de Caxias do Sul, por meio da Secretaria da Cultura, promove uma série de eventos, concentrados principalmente entre os dias 21 e 23 de maio. É a Festa nas Réplicas, programação que integra o Calendário de Eventos Caxias 2010.

No dia 21 ocorre Filó no Salão Paroquial do Parque da Festa da Uva, a partir das 20h30. Os ingressos estão sendo vendidos a R$ 20,00. Como são em número limitado, a aquisição deve ser feita com antecedência.

No dia 23 de maio haverá Almoço colonial, também no Salão Paroquial do Parque da Festa da Uva. Os ingressos são limitados e já podem ser adquiridos. O valor é de R$ 25,00.

Não serão vendidos ingressos na hora. A compra deve ser antecipada. É preciso informar o número de ingressos desejados, tanto para o filó, como para o almoço colonial. Para reserva e aquisição dos ingressos, entrar em contato com Claudia, na Secretaria da Cultura (3901.1388/3901.1288).

O cenário das Réplicas de Caxias 1885 é o palco ideal para comemorar e celebrar os 135 anos da imigração italiana. O conjunto das casas, a igreja, o coreto, o salão paroquial, e os espaços de lazer serão ocupados pelos cultuadores dos valores e das tradições italianas, com música, jogos, gastronomia e fé. Iniciando na sexta-feira, fim da tarde, as atividades ocorrerão durante todo o dia de sábado e domingo. O evento é destinado não só aos descendentes de italianos, mas a todos os caxienses e aos turistas que aqui buscam desfrutar desta história e desta alegria.

http://www.vivanews.com.br/

135 anos de Imigração Italiana no RS em Antônio Prado.


segunda-feira, 10 de maio de 2010

Memorial realiza a XV Festa do Imigrante

Memorial realiza a XV Festa do Imigrante

Há 15 anos a tradicional festa reúne culinária típica, dança folclórica e artesanatos de diversas comunidades de imigrantes em São Paulo.

O Memorial do Imigrante, instituição ligada à Secretaria de Estado da Cultura, realiza, nos dias 23 e 30 de maio, a 15ª Festa do Imigrante. O tradicional evento é um convite para conhecer as manifestações culturais, artísticas e gastronômicas de diversas nações, além de resgatar a história dos mais de 2,5 milhões de imigrantes que passaram pela Hospedaria, desde o final do século XIX. No ano passado, os dois dias de festa reuniram mais de 16,5 mil pessoas.

O público terá a oportunidade de conferir as apresentações de danças e músicas folclóricas dos grupos formados por imigrantes e descendentes de búlgaros, portugueses, lituanos, russos, japoneses, italianos, irlandeses, libaneses, indianos, chineses, espanhóis, africanos, ucranianos e outros. A festa contará também com uma feira de artesanatos, repleta de produtos típicos e acessórios trazidos pelas comunidades.

A culinária típica poderá ser apreciada nas mais de 25 barracas montadas em vários espaços do Memorial. Entre as especiarias se destacam o estrudel, doce ou salgado, e o begli da Hungria; sambusa (pastel folhado de quatro queijos) e quiche de alho poró, de Israel; a Chopska (salada) e Bamitza (torta salgada), da Bulgária; os pratos alemães Eissbein (joelho de porco servido com molho páprica) e cuca salgada de ricota e salame; e também a Carapulcra (batata desidratada temperada com frango), prato muito apreciado no Peru.

continuar lendo


http://www.memorialdoimigrante.org.br/

quinta-feira, 6 de maio de 2010

Genealogia italiana, jornada no Rio Grande do Sul

Pesquisadores realizam XI Seminário Nacional sobre História das Comunidades Teuto-Brasileiras



De 1º a 3 de julho de 2010 realiza-se, no Centro Universitário FEEVALE, em Novo Hamburgo/RS, o XI Seminário Nacional de Pesquisadores da História das Comunidades Teuto-Brasileiras. A promoção é uma parceria da Associação Nacional de Pesquisadores da História das Comunidades Teuto-Brasileiras com a Prefeitura Municipal de Novo Hamburgo, RS, e o Curso de História do Centro Universitário FEEVALE. E conta com o apoio oficial do portal BrasilAlemanha e do boletim informativo Neues.

Convidamos e conclamamos os interessados a participarem desta trajetória cultural, através de sua valiosa contribuição. Enviamos, em anexo, Ficha de Inscrição para Comunicação, sendo que a sua devolução deverá ocorrer até 21 de maio de 2010, impreterivelmente.

Aproveitamos para encaminhar ainda as fichas de inscrição para participar do Seminário ou para Comunicação - confira acessos abaixo, no final do texto. Ambas as fichas podem ser multiplicadas e distribuídas a interessados.

A programação segue abaixo. Mais detalhes e demais informações serão divulgados em breve no site da Prefeitura de Novo Hamburgo e no Blog da Associação.

Contando com o seu engajamento, inclusive com a divulgação do Seminário, desde já agradecemos.

Atenciosamente,
Evandro Fernandes - Secretaria de Educação da Prefeitura de Novo Hamburgo
Dr. Marcos Witt - Museu Visconde de São Leopoldo - São Leopoldo - vice-presidente da Associação
Carmem Ribeiro - secretária da Associação (51) 3279 5373
Dra. Rosane Marcia Neumann - Presidente da Associação Nacional de Pesquisadores da História das Comunidades Teuto-Brasileiras

Rua Canoas, 233 - Bairro Arco Íris
Cep 98280-000 Panambi, RS

XI SEMINÁRIO NACIONAL DE PESQUISADORES DA HISTÓRIA
 DAS COMUNIDADES TEUTO-BRASILEIRAS

Tema: Imigração: diálogos e novas abordagens
Data: 1º a 3 de julho de 2010
Local: Salão de Atos do Centro Universitário FEEVALE
Rodovia RS 239, nº 2755, Novo Hamburgo/RS

Objetivos

Inspirados em perspectivas de análise diversas sobre a história da imigração alemã e tomando como referência os “diálogos” e as “novas abordagens”, propomos este seminário, que marca a história de atuação da Associação Nacional de Pesquisadores da História das Comunidades Teuto-Brasileiras, por ser a décima primeira edição. O seminário pretende congregar os interessados em participar ativamente da Associação, articulando-os entre si e divulgando resultados de pesquisas e atividades referentes à história da imigração no Brasil.

Dirigido a professores e acadêmicos de história e de componentes curriculares afins, historiadores, pesquisadores, atuantes em museus e arquivos históricos, secretários de educação e/ou cultura, dirigentes culturais e demais interessados na história da imigração alemã.

Programação
Dia 1º/07/2010 – quinta-feira
18h - Recepção e credenciamento
19h15min - Abertura oficial
Palestra de abertura
Memórias e vivências: desafios e diálogos com as raízes
Profa. Dra. Ellen Fensterseifer Woortmann (UNB)
Coordenação: Profa. Dra. Isabel Cristina Arendt (UNISINOS / IHSL)
Noite Cultural

Dia: 02/07/2010 – sexta-feira
8h - Recepção
8h30min - Mesa-redonda 1 – Política: Avanço territorial e emancipação
- Profa. Dra. Doris Rejane Fernandes (FACCAT / IHSL)
- Prof. Dr. René Ernaini Gertz (PUCRS / IHSL)
Coordenação: Profa. Dra. Rosane Márcia Neumann (Associação Nacional de Pesquisadores da História das Comunidades Teuto-Brasileiras)
10h - Convívio
10h30min - Mesa-redonda 2 – Diálogos e novas abordagens I: imigrantes e indígenas
- Profa. Dra. Cíntia Régia Rodrigues (IBPEX – Grupo Educacional UNINTER, Curitiba/PR)
- Profa. Ms. Inês Caroline Reichert (FEEVALE)
Coordenação: Prof. Ms. Evandro Fernandes (Prefeitura de Novo Hamburgo)
12h - Almoço
13h30min - Mesa-redonda 3: Diálogos e novas abordagens II: imigrantes e africanos escravizados
- Prof. Dr. Paulo Roberto Staudt Moreira (UNISINOS)
- Profa. Dra. Magna Magalhães e Profa. Dra. Margarete Nunes (FEEVALE)
Coordenação: Profa. Dra. Roswithia Weber (FEEVALE)
15h - Convívio

15h30min - Sessões de comunicação
1. Política (eleições, emancipações, instituições público-privadas...)
2. Relações interétnicas (etnias, diálogos e conflitos...)
3. Sociedade e economia (cotidiano, sociabilidades, migrações...)
4. Gênero (mulher imigrante, relações de parentesco...)
5. Patrimônio e memória (educação patrimonial, guarda de acervos...)
6. Outros temas relacionados à imigração

Inscrições de comunicação: veja detalhes na Ficha anexa.

19h30min - Mesa-redonda 4 – Estrangeiros e migrantes: incluídos e excluídos na imigração
- Prof. Dr. Martin Dreher (UNISINOS / IHSL)
- Prof. Dr. Ely Bergo de Carvalho (UFMT)
Coordenação: Prof. Dr. Marcos Antônio Witt (MHVSL / IHSL)
Dia 03/07/2010 – sábado
8h30min - Mesa-redonda 5 – Parentesco, organização social e questões de gênero na imigração
- Profa. Dra. Ellen Fensterseifer Woortmann (UNB)
- Profa. Dra. Ingrid Margareta Tornquist (Universidade Umea - Suécia)
Coordenação: Prof. Dra. Regina Weber (UFRGS)
10h - Convívio
10h30min - Mesa-redonda 6 – Patrimônio e memória de Novo Hamburgo
Rosane Marcia Neumann
- Profa. Dra. Eloísa Helena Capovilla da Luz Ramos (UNISINOS / IHSL)
- Profa. Dra. Roswithia Weber (FEEVALE)
Coordenação: Profa. Dra. Gisele Becker (FEEVALE)
12h - Encerramento

Certificado
Será fornecido certificado aos participantes com freqüência mínima de 75%.

Número de horas: 20h
Comissão Organizadora
Coordenação Geral: Evandro Fernandes e Marcos A. Witt
Adriane Brevia
Carmem Adriane Ribeiro
Isabel Cristina Arendt
José Edimar de Souza
Rodrigo Perla Martins
Rosane Neumann
Roswithia Weber

Ficha de Inscrição para Assistir ao Seminário > clique aqui

Ficha de Inscrição para Comunicação > clique aqui

Apoios: FEEVALE - Secretaria de Cultura de Novo Hamburgo - Museu Histórico Visconde de São Leopoldo - Portal BrasilAlemanha/Informativo Neues

Fonte: Dra. Rosane Márcia Neumann

sexta-feira, 23 de abril de 2010

Listas de desembarque de imigrantes poderão ser acessadas pelo público a partir de maio


O Memorial do Imigrante, instituição ligada à Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo, realizou a microfilmagem das listas de desembarque de passageiros de mais de 70 nacionalidades que chegaram ao Brasil entre os séculos XIX e XX. Os documentos eram preenchidos no Porto de Santos ou produzidos pelas companhias de navegação durante o desembarque e levados à antiga sede da hospedaria. O público poderá consultar os microfilmes no local a partir de maio.
O Memorial possui cerca de 120 mil unidades documentais de listas de passageiros e desse total 80% já foram microfilmadas. De acordo com a historiadora responsável pelo arquivo, Débora Cristina dos Santos, as listas correspondem aos períodos de 1888 a 1978. A última etapa da ação que contemplou a microfilmagem de 41 mil documentos foi iniciada em junho de 2009 e realizada nas dependências do Memorial. “Firmamos convênio com uma empresa responsável pelo trabalho e disponibilizamos um espaço apropriado”.

Segundo Debora Cristina faltam apenas microfilmar algumas listas que se encontram em estado de conservação insatisfatório. “Não pudemos realizar a microfilmagem nas listas correspondentes aos anos de 1913, 1925, 1926 e 1927. Elas ainda passarão por um processo de restauro. As informações dos documentos de 1913 podem ser solicitadas ao técnico responsável pelo arquivo”, acrescenta a historiadora.Recentemente a instituição assinou termo de cooperação com o Centro Internazionale Di Studi Sull’emigrazione Italiana (CISEI), sediado em Piazza Della, na Italia. A ação tem como objetivo a criação de um banco de dados por meio da digitalização dos microfilmes existentes no acervo do Memorial. O centro buscará as informações em listas de desembarque de passageiros italianos que partiram do porto de Gênova para o Brasil entre os anos 1888 a 1912.

O Memorial também possui outros importantes acervos históricos, entre eles, os Livros de Registro, que receberam em 2009, o Diploma do Registro Nacional (MOW Brasil) do Programa Memória do Mundo da UNESCO, que contempla documentos ou acervos de relevância para a memória coletiva da sociedade brasileira. O acervo conta com 150 livros (microfilmados) de 1882 a 1962, compostos por informações da data de chegada, nome do imigrante, sobrenome, país de origem, parentesco e nome do navio em qual chegou ao Brasil. Alguns também possuem o nome da fazenda de destino. As informações estão disponíveis ao público nos terminais multimídia e no site do Memorial do Imigrante.

Serviço
O público pode consultar as listas de desembarque de passageiros das 10h às 16h30 na sala de arquivos. É importante fazer o agendamento pelo telefone: 2692-1866. O imigrante ou descendente poderá solicitar a emissão da Certidão de Desembarque. O serviço de utilidade pública expede um documento oficial no valor de R$ 20,00, aceito nos países europeus e no Japão, para a concessão de dupla cidadania, sucessões hereditárias e diversas demandas judiciais.

Local: Memorial do Imigrante
Endereço: Rua Visconde de Parnaíba, 1.316, Mooca, perto do Metrô Bresser.
Tel.: (11) 2692.1866
Horário de funcionamento: De terça a domingo, das 10h às 17h horas (inclusive feriados).
Ingressos: R$ 4,00 e ½ entrada para estudantes
Entrada gratuita para menores de 7 anos e adultos com mais de 60 (sessenta) anos.
Obs: No último sábado do mês, a entrada é gratuita para todos visitantes.

Redação revista eletrônica Oriundi

quinta-feira, 15 de abril de 2010

O Evento na Opinião do Mestre de Cerimônias - Imigrantes em Leopoldina, MG

 
 
 
Ontem à noite o Marcus Vinicius postou alguns comentários sobre o primeiro dia do evento comemorativo do Centenário da Colônia Agrícola da Constança e dos 130 anos da Imigração Italiana em Leopoldina, no dia 10 de abril.  Estávamos ansiosos para saber a opinião deste parceiro. 

Nós conhecemos sua atuação no programa Show do Marcus Vinicius, pela Rádio Jornal AM 1560, todo domingo de 9h30 às 12 horas. Durante a última fase de nosso projeto, estivemos algumas vezes no programa e pudemos constatar que é um apresentador dinâmico, com muitos ouvintes que são seguidores fiéis. No último dia 4, ouvindo o programa pela internet, comprovamos que, além de participarem do programa pelo telefone, os ouvintes também acessam outros meios de comunicação para se fazerem ouvir. Naquele dia, 15 minutos depois do Marcus Vinicius citar vários dos sobrenomes que temos mencionado aqui no blog, recebemos mensagens de ouvintes do programa fazendo comentários e perguntas.

Só não sabíamos que o Marcus Vinicius é também um excelente Mestre de Cerimônias. Ele deu um show no sábado à noite. Além de seguir a orientação que lhe foi passada por Rosângela e Zazaia, soube contornar alguns contratempos com a maior elegância. É comum que em eventos desta natureza aconteçam intervalos um pouco cansativos. Não foi o que aconteceu! Sob a direção do Marcus Vinicius, até os momentos de substituição dos equipamentos do palco fluíram animados.

Vejam os comentários que acabamos de ler no blog Show do Marcus Vinicius:
"Ontem eu recebi das mãos do Luiz Otavio Meneghite o Jornal 100 anos da colônia Constancia que faz parte da comemoração do aniversario da colônia e os 130 anos da imigração italiana em Leopoldina. À noite atendendo um pedido do setor da Cultura da Prefeitura fui até a capela de Santo Antonio de Pádua no Bairro da Onça onde apresentei o evento comemorativo. Queria de público parabenizar os lutadores da causa Nilza Cantoni e José Luiz Machado, os moradores da área e descendentes italianos, as pessoas que direta ou indiretamente ajudaram nesta realização e que essa festa se torne parte das comemorações da cidade. Estiveram presentes o Prefeito Municipal Bené Guedes, a secretária de Educação e Cultura Lucia Horta, o Secretário de Lazer e Esportes, Gilberto Tony, a vereadora Lurdes Beatriz (Tizinha) e o vereador Daniel Wereck, os secretários do Desenvolvimento Econômico Carlos Heleno, da Habitação, Darcy Resende, da Assistência Social, Valéria Bennati, de Governo, Sérgio Lupatini, a chefe de incentivo a cultura, Rosangela Moreira, a chefe de Ação Cultural, Zazaia Rezende Pacheco, o presidente da Unimed e APAE, Marco Antonio Lacerda, o presidente do Asilo, Oswaldo Vilas, o presidente da ALA, Ronald Alvim e várias outras pessoas ligadas à comunidade e a cidade. O evento teve inicio com a interpretação do Hino da Itália feita por Rayana Talarico da Silva Lingordo, descendente de italianos, logo a seguir o hino nacional e de Leopoldina sendo executado pela Banda Princesa Leopoldina e a palavra dos historiadores José Luiz Machado e Nilza Cantoni que falaram como começou o trabalho de pesquisa, Nilza chegou a se emocionar ao contar como se deu o início. Depois a palavra das autoridades. A Banda Princesa Leopoldina fez execuções de vários números musicais e a seguir o grupo Assum Preto se apresentou dançando a Tarantela sozinhos e depois com várias pessoas presentes e encerrando a noite de ontem o Coral Encanto apresentou vários números com músicas italianas. Durante a movimentação havia um livro de registro de presenças na barraca do GLN que está com uma edição especial sobre os 100 anos da Colônia Constância e que inclusive está à venda nas bancas de Leopoldina. Na escola da comunidade alguns nomes de descendentes, cerca de 430 nomes, que foram pesquisados por alunos de escolas públicas de Leopoldina. Hoje a festa terá inicio daqui a pouco com o desfile de carros antigos até a comunidade, depois a apresentação da Lira Primeiro de maio, a missa às 11 horas na Capela de Santo Antonio de Pádua, a seguir um leilão e ainda um almoço típico italiano por adesão. O Tileoni que tem um programa na Rede Bandeirantes Minas estará hoje gravando alguns flashes da festa e entrevistando pessoas, inclusive do paraglider e estará passando no próximo sábado ás 9.30 da manhã."

Ao tempo em que agradecemos pelas palavras generosas do Marcus Vinicius, convidamos nossos leitores a visitarem o blog. É uma ótima fonte de informação sobre o que acontece em Leopoldina e que ele menciona no programa de rádio. 

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...